quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

20 trocas contra o colesterol (parte 2)

(Fotos: David Mafra)

Segue:
Aveia
6. Cereais açucarados por aveia A aveia tem fama de ser um dos cereais mais nutritivos do planeta. Por isso merece um espaço logo no café da manhã — seja na forma de flocos, seja no mingau. Um estudo da Universidade Federal de Santa Catarina comprova, mais uma vez, sua capacidade de cortar a gordura que sobra no sangue. “A aveia é rica em betaglucanas, fibras fermentadas no intestino e capazes de regular a síntese de colesterol”, explica a autora, Alicia de Francisco, que também é coordenadora para a América Latina da Associação Americana de Químicos de Cereais. “Observamos que elas ainda aumentam o HDL.”

7. Bauru por peito de peru e queijo branco
Calma, não pretendemos condenar ao ostracismo um lanche tão tradicional como o bauru. O problema é que ele deixa a desejar se as taxas de colesterol já rumam aos céus. Basta averiguar seus ingredientes: queijo prato e presunto, redutos de gordura saturada e colesterol. Que tal substituí-lo por um sanduba de peito de peru e queijo branco, que é mais esbelto do que seu congênere? Experimente. Só é preciso ficar atento ao tamanho do lanche. Ora, uma gigantesca baguete recheada pode fornecer mais calorias e gorduras do que um bauru de porte modesto.

8. Camarão por peixe

Convenhamos: frutos do mar não são tão frequentes no prato do brasileiro. Mas vale ficar atento durante aquela viagem à praia para não se abarrotar de camarões. Eles encabeçam o ranking marinho de colesterol — são 152 miligramas da gordura em uma porção de 100 gramas. Ou seja, quase o triplo do que é oferecido pela mesma quantidade de um peixe gordo como o salmão. Esse pescado se sai melhor também por outro motivo: ele é carregado de ômega-3. E uma nova pesquisa da Universidade Columbia, nos Estados Unidos, revela: o ômega diminui a captação de LDL pela parede das artérias, prevenindo as placas.

Lombo
9. Picanha por lombo O porco não é mais gordo que o boi nem o boi é mais gordo que o porco. Tudo é uma questão de corte. Há peças bovinas com menos gordura saturada, caso da alcatra e do filé mignon, e há aquelas parrudas, como a picanha e o cupim. O mesmo raciocínio se aplica à carne suína: o lombo é mais magro que o pernil. Mas saiba que há medidas para retalhar o possível malefício de qualquer corte rechonchudo. “Limpe a peça antes de cozinhá-la, retirando toda gordura aparente”, ensina Ana Maria. Até porque, apesar de a gente não ver, altas doses do nutriente já estão emaranhadas na carne.

10. Manteiga por margarina
Elas mantêm uma rivalidade histórica e ainda suscitam debates entre os experts. No duelo em prol de artérias saudáveis, porém, a margarina leva certa vantagem, porque não conta com a famigerada gordura de origem animal e o colesterol. Nos últimos anos, a indústria tem acrescentado componentes à sua fórmula para torná-la mais benéfica. Entre eles, destaque para os fitosteróis, que facilitam a expulsão do colesterol pelas fezes. “Os produtos enriquecidos com essa substância são indicados a quem já tem colesterol alto”, avisa Ana Maria.

11. Quindim por compota de frutas Os doces costumam ser condenados por carregarem açúcar demais. Quando a discussão envolve colesterol, porém, o açúcar pesa menos do que outro ingrediente comum em quindins, brigadeiros e bolos: a gordura. A manteiga, o creme de leite e outros ingredientes gordurosos que dão consistência aos quitutes levam consigo ácidos graxos saturados, que alavancam as taxas de LDL. Não à toa, os especialistas aconselham trocar esse tipo de sobremesa por opções que, sem perder o sabor adocicado, são desengorduradas. O melhor exemplo são as compotas de frutas. Só não vale, é claro, abusar.

Sucos
12. Suco de laranja pelo de uva
Essa é para matar a sede e resguardar o peito. É na casca da uva que está um parceiro do coração, o resveratrol. “Ele atua na redução do colesterol e tem efeito antioxidante”, diz a bioquímica Tânia Toledo de Oliveira, da Universidade Federal de Viçosa, em Minas Gerais. Ao impedir que as partículas de LDL se oxidem, a substância evita indiretamente que elas grudem na parede do vaso. Ao contrário do que muita gente pensa, o resveratrol não é exclusivo do vinho. O suco de uva natural e feito na hora (com casca, por favor!) também o disponibiliza ao organismo.

Fonte: Revista Saúde Abril

domingo, 26 de fevereiro de 2012

TROCAS QUE VALEM A PENA!!!

20 trocas contra o colesterol (parte 1)

Saiba como substituir alguns alimentos que elevam os níveis dessa gordura sem perder o prazer à mesa

No placar científico, um time de nutrientes já pontuou a favor das nossas artérias na disputa contra o colesterol. Um estudo recém-concluído em institutos espanhóis como o Hospital Clinic de Barcelona demonstra, após analisar 772 pessoas suscetíveis a infartos, que uma dieta rica em fibras dribla o excesso de LDL, a versão nada benéfica da gordura, afastando perigos. Já nos Estados Unidos, pesquisadores da Universidade Loma Linda provaram que peixes, nozes e castanhas garantem proteção digna de um golaço. Afinal, ajudam a controlar as taxas da substância no sangue. Por que, então, não convocar esses alimentos ao cardápio? A tática vitoriosa é trocar itens que contribuem muito pouco — ou até atrapalham — por outros que se mobilizam para vencer o colesterol. E o melhor: sem deixar o prazer à mesa no banco de reservas. Saiba como e por que vale a pena adotar esse esquema em prol da saúde cardiovascular.


1 Pão francês por integral
Eis uma forma de começar o dia protegendo as artérias. A massa integral presenteia o organismo com boas doses de fibras. Esse ingrediente serve de alimento a bactérias aliadas que moram no intestino. Bem nutridas, algumas delas fabricam mais propionato, uma substância que tem tudo a ver com os níveis de gordura na circulação. “Ao chegar ao fígado, ela diminui a produção de colesterol”, explica a gastroenterologista Jacqueline Alvarez-Leite, da Universidade Federal de Minas Gerais. Com isso, cai também a quantidade dessa partícula no sangue.

2 Leite integral por desnatado
Esse esquema garante a entrada do cálcio, tão caro aos ossos, sem um bando de penetras gordurosos. A bebida desnatada tem o mesmo teor do mineral, com a vantagem de ostentar menos ácidos graxos saturados. O excesso desse tipo de gordura eleva os níveis de LDL, a fração ruim do colesterol. “Isso porque reduz o número de receptores que captam LDL nas células”, ensina a nutricionista Ana Maria Pita Lottenberg, do Hospital das Clínicas de São Paulo. Se esse mecanismo não funciona direito, o colesterol vaga no sangue, pronto para se depositar na parede das artérias.

3. Óleo de soja e outros por azeite O ganho dessa troca vem da combinação entre gorduras benéficas e antioxidantes que povoam o óleo de oliva. Uma de suas vantagens é fornecer doses generosas de ácidos graxos monoinsaturados. “Eles não aumentam os níveis de LDL e ainda ajudam a erguer um pouco as taxas de HDL, o colesterol bom”, afirma o cardiologista Raul Dias dos Santos, do Instituto do Coração de São Paulo. “Além disso, os compostos fenólicos do azeite evitam a oxidação do colesterol, fenômeno que propicia a formação das placas”, completa Jorge Mancini, diretor da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo.

4. Pizza de mussarela pelas de vegetais A ideia pode não agradar aos fãs mais puristas das pizzarias, mas presta um enorme serviço aos vasos sanguíneos. Deixar camadas e mais camadas de queijo de lado de vez em quando significa podar gordura saturada do cardápio. Como você viu, ela protagoniza o disparo do LDL, o tipo perigoso do colesterol. Substituir a mussarela ou a quatro queijos pelas redondas cobertas de vegetais é uma saída para degustar pizzas sem receio. Opções não faltam — vale pizza de escarola, de rúcula, de brócolis e até de abobrinha. E elas oferecem um bônus: pitadas de fibras e antioxidantes.

5. Salgadinhos por castanhas
Essa troca é destinada àquele momento em que pinta a fome no meio do dia. Solução fácil, mas nada saudável, seria recorrer aos salgadinhos ou biscoitos recheados, petiscos que costumam contar com gordura trans em sua receita. “Ela não só faz aumentar o LDL como ainda contribui para derrubar o HDL”, alerta Ana Maria Lottenberg. Para escapar da malfeitora, aposte nas castanhas e nas nozes — legítimos depósitos da gordura monoinsaturada, que faz exatamente o trabalho oposto. “As oleaginosas ainda são fontes de antioxidantes”, lembra Jorge Mancini.

Fonte: Saúde Abril

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Museu da Vodka em Amsterdam: A História da Vodka – Parte I

Por: BENDITA VODKA


Uma dose de história para vocês. E com sabor de vodka ;) direto do Museu da Vodka em Amsterdam.
Museu Vodka Amsterdam

A história da vodka nos leva de volta ao início do século XIV, quando os mercadores italianos de Genova estavam cruzando as fronteiras russas. Isso era para estabelecer relações com a Russia e outros países do leste europeu. Nessa época a dinastia Ivanovich (ou Donskoy) liderava o império russo. Ele tinha a honra de receber vários presentes dos mercadores italianos. Entre esses presentes havia bebidas alcólicas (24% de álcool) feitas de uva, conhecidas como grappa. Logo se tornou uma bebida nobre, disponível somente para o círrculo interno do czar e os oficiais da igreja.
Dunskoy gostou da bebida, mas para o paladar dele a bebida não era forte o suficiente. Então, os russos mudaram os ingredientes e fizeram a bebida mais forte e a nomearam vodka. Na verdade, o nome vodka é derivado da palavra em latin “Aqua Vitae” que quer dizer “água da vida”.

Somente em 1533 o czar decidiu dividir a bebida com a população mais humilde e abriu o primeiro, então chamado Taverna Real. Aqui as pessoas mais simples podiam experimentar a bebida sagrada. Somente nessa época o nome foi finalizado, derivando da palavra russa “voda” (água), os russos inventaram a palavra “vodka”, que significa “pequena água”. Pequena água – grande álcool – essa é a piada! ;)
Em 1814 a vodka foi apresentada ao oeste europeu por Napoleão. Ele teve sucesso na conquista da maior parte da europa e depois da Russia. Ele foi o primeiro e único general estrangeiro que conseguiu conquistar Moscou. Devido ao inverno agressivo, seu exército perdeu a maior parte da sua força e ele foi forçado a recuar. Claro que ele trouxe alguns dos mais valiosos segredos russos de volta com ele para mostrá-los ao oeste europeu. Um deles era a fabricação da vodka. Como resultado nós podemos ver até hoje que a vodka francesa é famosa no mundo todo, e mantém uma forte posição no mercado global de vodka.

D. I. Mendeleev
A invenção dessa vodka está conectada ao nome do famoso qúimico D. I. Mendeleev. O cientista investigou o volume e densidade ideais de álcool e água por um ano e meio. Depois dessa pesquisa ele publicou suas descobertas na sua dissertação de doutorado “Combinando Álcool e Água”. As conclusões de Mendeleev foram apreciadas e aplicadas com sucesso na alcoolometria e na produção de vodka. Em 1894-1896, o padrão nacional para a vodka (40% de álcool e 60% de água) foi estabelecido. Além disso, o monopólio estatal da vodka foi introduzido nesse período.
A família Smirnoff era a produtora de vodka para a casa do imperador na Rússia no fim do século XIX. No começo do século XX, a “revolução vermelha” ocorreu, a família do czar foi assassinada e a união soviética foi estabelacida. A guarda vermelha aterrorizou a maior parte das pessoas inteligentes, religiosas e ricas, buscando trazer a ideia comunista à vida. Alguns nobres conseguiram escapar do novo governo e a família Smirnoff estava entre eles. A família Smirnoff foge então para o Reino unido, para mais tarde criar a “Companhia de Produção Smirnoff” no Reino Unido, e alguns anos depois, a empresa chegou aos Estados Unidos.

Amsterdam
Gostou? Quer saber o que aconteceu depois? Aguarde, em breve vamos contar especialmente para vocês.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

COMO SE RECUPERAR DOS EXCESSOS DO CARNAVAL

(Fotos: David Mafra)

Depois do Carnaval, muitas pessoas precisam começar um processo de recuperação das energias perdidas durante a festa para seguir em frente com suas atividades. Se você passou os quatro, cinco ou seis dias de festa com muita atividade física e uma alimentação não regrada - como a imensa maioria dos que brincam o Carnaval - então o seu organismo deve estar precisando de um descanso.

Não é por outro motivo, aliás, que aparecem tantas doenças no período pós-Carnaval. Muita atividade física sem o devido descanso e uma alimentação inadequada baixam as defesas do organismo e nos deixam mais expostos a vírus e bactérias.


De qualquer forma, agora que o Carnaval acabou o que é preciso fazer é recarregar as energias. A melhor maneira para isso é descanso e boa nutrição. Procure evitar excesso de esforço físico e trate de recuperar suas energias com muita água e alimentos naturais, sobretudo frutas, verduras, legumes, cereais e leguminosas. Deixe de lado, pelo menos por enquanto, a bebida alcoólica e alimentos processados ou com muita gordura e carboidratos refinados.

Quem brinca o Carnaval geralmente perde muita água pelo excesso de suor e consumo de bebidas alcoólicas, que são diuréticas. Com isso, o organismo fica debilitado e necessitande água e aparecem sintomas como cansaço, fraqueza e dor de cabeça.


A melhor forma de repor os líquidos é simplesmente bebendo bastante água. Água pura mesmo é melhor do que sucos de frutas com muito açúcar ou bebidas industrializadas vendidas como a salvação da hidratação. A segunda melhor opção é água de coco, desde que tirada diretamente do coco (e não comprada em caixinhas).

No mais, a pedida é aproveitar o próximo final de semana para descansar. Filmes e livros são bons companheiros para esse dia de recuperação. Se as pernas foram muito exigidas durante o Carnaval, procure deixá-las um pouco para cima quando deitado.

Carnaval é um período de folia e excessos para muitas pessoas, mas é importante que isso seja apenas uma exceção e não regra. Agora que o ano começa de verdade para muita gente, está na hora de se cuidar!

Fonte: Site Unimed João Pessoa

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

PRINCÍPIOS DA GASTRONOMIA RESPONSÁVEL


"O Gastronomia Responsável é um movimento idealizado pela Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, sob a curadoria de Celso Freire, que une culinária e meio ambiente por meio de quatro princípios: utilização de ingredientes orgânicos, utilização de produtos regionais, não utilização espécies ameaçadas de extinção e aproveitamento integral de alimentos.

Cada um deles traz elementos que, se seguidos, podem gerar efeitos positivos na conservação da natureza.

Por meio de ações simples você pode fazer a diferença. Conheça cada um dos princípios, clique no link abaixo e acompanhe as dicas sobre como exercer uma gastronomia responsável na sua própria casa. Compartilhe essa idéia".*
DICAS RESPONSÁVEIS: http://www.gastronomiaresponsavel.com.br/dicas.php


*Fonte: Gastronomia Responsável

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Eu fiz: IOGURTE CASEIRO

(Fotos: David Mafra)


Iogurte faz bem à saúde! E tomar um bom iogurte é muito saboroso. E o hábito pode ser um ótimo motivo para também se fazer o fermentado em casa. É simples, prático e o resultado é de excelente qualidade. Inclusive, pode-se experimentar várias combinações: natural, com mel, geleia, granola ou de acordo com o gosto.

Ingredientes:
- 1 copo de iogurte natural integral;
- 2 ou 3 litros (de acordo com a quantidade que se queira fazer) de leite integral (pela consistência), indicado o de saquinho - não o de embalagem longa vida.

Modo de preparo: Coloque o leite para ferver e fique de olho para não deixar esparramar. Desligue quando estiver para levantar a fervura. Aguarde a temperatura baixar até o momento em que você possa colocar a mão na lateral da panela por mais de 5 segundos (esta é uma forma simples para ver a temperatura está de acordo). Na sequência, coloque o copo de iogurte natural num pote, acrescente o leite e embrulhe-o com uma manta ou toalha e deixe-o descansar de um dia para o outro num local neutro (escuro e de temperatura ambiente, como dentro de um forno ou guarda roupa). No dia seguinte, é só desembrulhar e abrir o pote para conferir o resultado!


Leite para ferver
Leite já fervido
Temperatura certa













Juntar o iogurte
Deixar fermentar
Está pronto!












domingo, 19 de fevereiro de 2012

Eu fui: Di Taroni Trattoria

(Fotos: David Mafra)


Ótima trattoria, excelente para aqueles que gostam da cozinha italiana. Ambiente agradável, atendimento profissional, ótimo cardápio (opções diversas de massas e carnes), porções generosas (cada prato serve duas pessoas). O preço é salgado, mas a qualidade justifica.

Pegamos a avenida principal de Coqueiros (bairro do continente de Florianópolis), rota gastronómica. Passamos pela trattoria e ficamos na dúvida se seria uma boa alternativa. A fachada não chama tanto a atenção. Paramos, entramos e sentamos.

Logo ao abrir o cardápio já verificamos que a casa oferecia ótimos pratos. Pedimos polenta cremosa com mignon, muito boa!

De quebra, o cafezinho veio na cafeteira italiana, servido na mesa, ótimo, muito bom!                                          

Polenta cremosa
Saborosa












Di Taroni Trattoria

Endereço: Av Engenheiro Max de Souza , 730
Coqueiros - Florianópolis , SC
Telefone: 48 3249-2040

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

BENDITA CONVERSA!

Os melhores momentos da vida vêm acompanhados por brindes! E neste caso, o melhor a dizer é: Na Dzorovia! Pois é desta forma que na Rússia, país de origem da vodka, o brinde é feito!

Acompanhando as notícias sobre Gastronomia na mídia em geral, deparei-me com um blog proposto a reunir, condensar, concentrar e promover notícias diversas sobre o universo deste destilado que chamamos de vodka!

Vasculhei o site e encontrei o link das receitas. Pude perceber que o uso da bebida abrange não só o preparo de coquetéis, mas também a elaboração de pratos especiais.


E como testar novos ingredientes é sempre um ótimo desafio, pensei que este poderia ser um bom motivo para o início de uma excelente parceria!

Reunindo o útil ao agradável, entre um gole e outro, que tal preparar, incrementar, flambar ou incorporar o destilado em nosso cardápio?

Assim, o blog Bendita Vodka chega na nossa cozinha para uma saborosa conversa! 

E antes que o papo embale, é melhor já agradecer ao site  Bendita Vodka e sua equipe pela parceria! Este encontro promete aumentar a temperatura, estimular os assuntos e aguçar a criatividade! Que esta água "benta" nos faça boa companhia!

Na Dzorovia!

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Eu fui: Restaurante Macarronada Italiana

(Fotos: David Mafra)


O prato da casa!
Frequento esta casa  há bastante tempo, na época em que era apenas uma simples cantina italiana.
Desta forma, passados alguns anos sem ir até lá, resolvi retornar ao velho e bom restaurante para saborear novamente o gosto do tradicional talharim que fez a fama do lugar.
LEVEI UM SUSTO!
Agora, a cantina virou uma tratoria sofisticada, com decoração contemporânea, adega diversificada, cardápio variadíssimo (foi sendo ampliado com o passar dos anos) e clientela super elitizada.
Não teve como não sentir falta do ambiente acolhedor de tempos atrás.
Como sou saudosista, pedi o super tradicional talharim à bolonhesa (continua sendo um dos mais pedidos). O sabor continua o mesmo. Pedi uma porção inteira (pra matar a fome de qualquer leão). Deliciei-me, meu paladar matou saudades, paguei a conta (salgada) e segui viagem (estava de ida para Florianópolis).

Dica: Experimente o tradicional e já antológico Talharim à Bolonhesa!
 
 
Fachada atual
Nova ambientação
Decoração contemporânea
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Restaurante Macarronada Italiana
 
Endereço: Rua Dom Afonso, 160 (Via Gastronômica)
Balneário Camboriú, SC.
 
Telefone: (47) 3367 0788
 
 
 

Frase do dia

(Foto: David Mafra)




"Nas vitórias, é merecido,
mas nas derrotas é necessário".

Napoleão Bonaparte, sobre o Champanhe.


"Na falta de um Champanhe, toma-se uma Cava".

Minha autoria

domingo, 12 de fevereiro de 2012

CHÁCARA MORADA DO SOL

(Fotos: David Mafra)


Domingo é ótimo para passear. Pode-se aproveitar o clima de verão e curtir a praia ou, para quem prefere o verde, desfrutar das várias possibilidades que o interior do estado nos proporciona.
Curitiba é privilegiada neste sentido, pois nos arredores da capital encontramos muitas boas atrações e roteiros diversos que proporcionam a interação com a natureza.
Domingo passado foi o dia de conhecer a chácara Morada do Sol, convite feito por Elisete Slongo, localizada em Campo Largo. O dia estava muito bonito, o programa prometia ser agradável: almoço reunindo alunos, professores e colegas de trabalho da área de Gastronomia do Senac Curitiba.
A chácara é ótima, com grande área verde e opções variadas para laser e recreação. E o melhor ainda estaria por vir. Elisete preparou para nós um cardápio super gostoso, com frango e costela, arroz, creme de milho e acompanhamentos. As sobremesas estavam uma delícia (Pudim de Banana e Mousse de Chocolate - receita do professor Sergio Bernardi).
Tarde agradabilíssima, a natureza renova as energias. A conversa estava ótima e o passeio valeu mais do que a pena!

Chegada
Estacionamento
Araucárias













Tanque para pesca
Bela paisagem
Horta












Campo de futebol
Salões para eventos










Hora do almoço
Cardápio











Frango e costela
Pudim de banana
Mousse de Chocolate















MORADA DO SOL EVENTOS

Contato: Elisete Slongo

Endereço: Rua Ângelo Beraldo, 242, 83.360-000, Campo Largo, Paraná.
Telefones: 41 33934485 | 41 88064788


sábado, 11 de fevereiro de 2012

GASTRONOMIA RESPONSÁVEL!

video

"Idealizado pela Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, sob a curadoria de Celso Freire, o movimento Gastronomia Responsável convida chefs de cozinha a criarem pratos com princípios que unem alta gastronomia e conservação da natureza.

Para você fazer parte, comece conhecendo os restaurantes participantes inicialmente em Curitiba (PR). Parte do valor dos pratos é revertida para as ações de conservação da natureza da Fundação Grupo Boticário. E você ainda pode fazer mais: utilize nossos princípios na sua cozinha e compartilhe por meio do site. Assim, todo mundo pode fazer parte do movimento por uma gastronomia mais responsável!".*

Para saber mais, acesse: http://www.gastronomiaresponsavel.com.br/

*Fonte: Gastronomia Responsável.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Frase do dia!

(Foto: David Mafra)

"Por que foi feito com todo sentimento, o jantar preparado pela pessoa amada é sempre o melhor do mundo! (Mesmo que o arroz tenha empapado, que o frango tenha queimado e que a cozinha quase tenha ido pelos ares!)".

Augusto Branco

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

A CONVERSA FICOU RUSSA !!!

(Fotos: David Mafra)

Pelmeni!
Saímos atrasados de casa e, de quebra, inventei de passar no supermercado para comprar sorvete. A semana tinha sido corrida e não tinha tido tempo de fazer o gelado caseiro para acompanhar o Brownie, sobremesa elaborada para o jantar na casa da Ale e do Yuri.
Conclusão: a demora na fila do caixa (habitual por essas bandas) fez com que a fome chegasse mais rápido, apressando a curiosidade para saber o que nossos amigos russo-brasileiros estariam aprontando para nosso encontro!
Uma coisa nós, meu irmão e eu, sabíamos: a conversa seria muito boa e, provavelmente, faltaria tempo para colocar os assuntos em dia!
Ao chegar no apartamento de nossos anfitriões, já percebemos os preparativos que só estimularam ainda mais nossas mentes em saber o que é que degustaríamos naquela noite!
Cumprimentos, beijos e abraços, exclamações diversas e fomos pra cozinha !!!
Logo engatei papo com Yuri (siberiano radicado em Curitiba, por conta do casamento com Alessandra) sobre a sua culinária natal. Lembrei-me que os franceses se inspiraram nas refeições por etapas que os nobres russos já utilizavam antes mesmo de virar moda na Europa Ocidental. Yuri reforçou a riqueza dos hábitos gastronômicos de seus conterrâneos e, inclusive, com receitas e bebidas bastante conhecidas pelos lados de cá, como o Strogonoff e a Vodka!

Massa
Recheio
Pelmeni pronto














O prato escolhido foi o Pelmeni (em russo: пельмени): recheio de carne picada ou moída, envolvido por uma massa fininha, feita de farinha, ovos e água, muito semelhante ao Capeletti (como sou de família italiana, resolvi não comprar briga e não discutir sobre quem teria se inspirado em qual receita! Rsrs!). Yuri esmerou-se na confecção da massa, tradição familiar que lhe foi passada ainda na infância.

Cozimento
Frigideira
Acompanhado de vodka!














Enquanto isso, Ale colocou a água para ferver com folhas de louro, cozinhou a massa, retirou da panela e levou para uma frigideira com manteiga e alho (que riqueza de sabores e aromas!) para dourar o pelmeni (opcional, pode-se comer tanto somente cozido como também frito).
Como era uma noite temática, o prato foi servido e seguiu a tradição russa, acompanhado com vodka, e que Vodka !!!
Originalíssima Vodka russa!

Foi-nos servido uma das estrelas da Czar's Gold Collection! A escolhida para a noite foi a Tsarskaya Zolotaya ! Olha, pronunciar esse nome pode até ser difícil, mas bebê-la foi fácil! Delícia de destilado! Como boa bebida, desceu muito bem, sem efeitos colaterais* (excelente qualidade, não deixa resíduo no paladar, não teve dor de cabeça no dia seguinte acompanhou na medida certa a refeição).

Pena que, como havíamos imaginado, a noite passou rápido demais. Mas o próximo encontro já ficou agendando para a casa do Hill, com direito a prato brasileiro, preparado pelo mestre cuca aqui!

DA ZDRAVSTVUYET!




* Alcoólico deve ser consumido por maiores de idade e moderadamente. Se dirigir, não beba!